Primeiro caso de covid-19 aconselha: “Fique em casa. A dor não compensa”

Atualizado: 17 de mai. de 2021

Publicado em 30/12/2020 - 07:49 Ana Maria CamposEixo Capital


Coluna Capital/Por Ana Maria Campos

A advogada Cláudia Maria Patrício Vieira da Silva virou garota propaganda do GDF na campanha contra a covid-19. Aos 52 anos, ela foi a primeira paciente diagnosticada com a doença no DF e o primeiro caso de intubação no país. A contaminação ocorreu numa viagem à Europa, em fevereiro. Ela chegou de Londres e, em poucos dias, começou a sentir os primeiros sintomas. O marido, também advogado, André Luís de Souza, 48 anos, também foi infectado, mas não precisou ser internado. A pandemia ainda era novidade quando o drama atingiu o casal. Ele não queria abandoná-la sozinha e a Procuradoria-Geral do DF chegou a mover uma ação para obrigá-lo a ficar em isolamento. Curada há mais de três meses depois da internação, Cláudia voltou para casa e, hoje, é um exemplo de luta contra essa doença que já tirou mais de 4,1 mil vidas só no DF. Em vídeos do GDF, a advogada aconselha: “Façam suas festas em casa. Sejam mais introspectivos. A dor não compensa”.